Há erros na exibição desta página. Habilite JavaScript ou consulte a ajuda de seu navegador para visualizá-la corretamente.

Como fazer uma planilha de orçamento de obras (e mais: baixe um modelo!)

Atualizado em 28 de nov. de 2019 16:48

Dos serviços preliminares aos acabamentos, descubra como montar sua planilha de orçamento de obras e como encontrar online preços de material e mão de obra!

Quando o assunto é orçamento de obras, algumas questões chave vêm em mente: como fazer um orçamento de obras? O que são custos diretos e indiretos? Qual a diferença entre preço desonerado e não desonerado? O que é BDI e quando ele deve ser utilizado?

De maneira geral, todas as informações de um orçamento são condensadas em uma planilha de orçamento de obras - e explicar como elaborar uma planilha desse tipo significa, dessa forma, responder a muitas das questões acima.

Você pode construir uma planilha em um programa, como o Excel, ou utilizar um software especializado para agilizar seu trabalho. Nesse post, vamos demonstrar como construir um modelo de planilha de orçamento de obras, definindo ainda alguns conceitos relacionados. Depois, disponibilizamos um link para download da planilha construída, para que você possa colocar em prática o que explicamos aqui. E ainda tem um bônus no final. Vamos lá?

Como montar uma planilha de orçamento de obras

As planihas de orçamentos de obras podem sofrer algumas variações dependendo da empresa ou instituição que a elabora. Porém, em geral, todas essas planilhas possuem algumas informações em comum. Dessa forma, quando você for montar a sua planilha de orçamento de obras, inclua, no topo, propriedades que identificam o projeto e parâmetros que norteiam as bases de composições de custos. Algumas dessas informações são:

  • Nome da obra ou do projeto: é o nome propriamente dito do empreendimento a ser construído, como um nome comercial definido em uma incorporadora.
  • Período de referência do orçamento: é o par de informações "mês/ano" que serve de referência para a coleta de informações de bases de composições de preços. Essa informação é importante para aferir o grau de atualização do orçamento.
  • Tipo de preço adotado: refere-se à adoção de preços com ou sem desoneração, o que pode ter um impacto considerável no custo total do empreendimento.
  • BDI: são os benefícios e despesas indiretas, que avaliará custos indiretos, como despesas administrativas, além do lucro pretendido com a construção da edificação.

Pode ser útil também informar o nome do cliente, endereço e data de revisão.

O orçamento é um exercício de previsão: construir uma planilha de orçamentos de obras exige calcular quantitativos e consultar bases de custos de insumos da construção civil

As colunas da sua planilha orçamentária

Depois dessas informações, saímos do cabeçalho e entramos no corpo da planilha. Aqui, é tradicional o modelo de sete colunas, em que cada uma apresenta as seguintes informações:

  • Código: é um valor único que identifica algum insumo ou composição em uso na planilha orçamentária. É útil para consultar valores de custo em bases de composições de custos.
  • Fonte: é a identificação da base de composições de custos que forneceu o valor do elemento constante na planilha ou mesmo o nome de uma loja ou fornecedor, caso tenha sido feita uma cotação de preços.
  • Descrição: é o nome do serviço propriamente dito e que será necessário à execução da obra.
  • Unidade: representa a unidade de medida na qual o insumo ou composição estão sendo medidos, como área, volume, quilograma etc.
  • Quantidade: é o valor das quantidades levantadas a partir do projeto e do memorial descritivo.
  • Custo unitário: corresponde ao custo necessário para executar uma unidade do insumo necessário à obra, como os valores unitários de materiais, mão de obra, equipamentos e serviços.
  • Custo total: é a multiplicação da quantidade pelo custo unitário.

Para exemplificar, vamos a uma situação prática. Supondo que esteja sendo feito um orçamento de obra de uma residência, foi constatado a partir do projeto a necessidade de se fazer a escavação das valas para as fundações. Para consultar valores, foi utilizado como fonte o sistema SINAPI, que reúne preços e indicadores da construção civil. Assim, a linha da planilha seria preenchida com informações como:

  • Código: 96527 (o código que se refere à escavação manual de vala, no SINAPI);
  • Fonte: SINAPI (é a fonte propriamente dita);
  • Descrição: Escavação manual de vala para viga baldrame, com previsão de fôrma (o nome do insumo ou serviço que deve ser eecutado na obra);
  • Unidade: m3;
  • Quantidade: 11,56 (quantidade em metros cúbicos, nesse caso, necessária para se escavar);
  • Custo unitário: R$ 92,03 (fornecido pela fonte);
  • Custo total: R$ 1063,87.

Fácil, certo? Essa é uma forma de construir uma planilha sintética de orçamento de obras, planejamento fundamental para que não haja desperdício de tempo e dinheiro na execução da obra.

Planilha sintética? Saiba mais sobre os tipos de orçamento de obras

Organizando os serviços

Bom, a quantidade de serviços necessária em uma obra pode variar muito dependendo dessa obra e pode ser bem numerosa. Além disso, nem tudo será feito de uma única vez. Ora, não vamos fazer a limpeza do terreno e logo após trabalhar na impermeabilização de pisos, que ainda nem foram construídos, certo? É por isso que, desde a elaboração do orçamento da obra, é necessário sequenciar as atividades. Aqui, ela acontece de uma forma mais simples, dividindo os serviços em categorias ou etapas.

Com o Monttante, você tem um software para orçamentos de obras preparado para poupar seu tempo! Faça um teste grátis e começe agora! Basta preencher os campos seguintes:

Ocupação:
Você tem ou faz parte de:

As etapas de cada empreendimento podem variar bastante, pois podemos falar de uma construção completa ou de uma reforma, por exemplo. De uma maneira geral, as seguintes etapas, já na sequencia adequada, costumam definir a maioria das obras. Verifique se elas constam na sua obra e acrescente-as no seu orçamento:

  1. Serviços preliminares (limpeza do terreno, locação da obra, placa da obra etc.);
  2. Fundação (escavação de valas, lastro de concreto, quantidade de aço...);
  3. Impermeabilização (tipo de impermeabilização utilizado);
  4. Alvenaria (tijolos furados...);
  5. Estrutura de concreto armado (fôrmas, quantidade e tipos de aço, preparo e lançamento de concreto...);
  6. Cobertura (tipo de telha, cumeeira, calha...);
  7. Esquadrias metálicas (janelas...);
  8. Esquadrias de madeira (portas...);
  9. Revestimento (chapisco, emboço, placas cerâmicas...);
  10. Piso (contrapiso, piso em cerâmica, rodapé, soleira);
  11. Instalação elétrica / telefônica (quadros de distribuição, disjuntores, tomadas, fios...);
  12. Instalação hidrossanitária (tubos de PVC, registros de gaveta e pressão, duchas higiênicas, vasos sanitários...);
  13. Pintura (massa acrílica, seladores, pintura acrílica etc.);
  14. Vidros (tipos de vidro - vidro fantasia, vidro liso etc);
  15. Muros e portões (quantidade de concreto e aço, reaterro, reboco, pintura do muro...);
  16. Calçada (contrapiso, piso, pisos podotáteis...);
  17. Serviços complementares (despesas com limpeza, entulho e bota-fora...).

O sequenciamento das atividades de uma obra pode começar já no orçamento. A leitura dos projetos pode contribuir para esse planejamento.

Obtendo informações

Algumas empresas, com tempo e experiência, acabam construindo suas próprias fontes de custos de insumos para inserir em suas planilhas. Porém, para quem está começando ou para quem está fazendo um orçamento para concorrer em uma licitação, é possível utilizar bases públicas gratuitas para obter acesso a informações. Aqui estão algumas sugestões:

Há muitas bases de custos de insumos da construção civil para consultar. As bases acima funcionam em nível nacional. Muitas outras, como ORSE (Sergipe), SETOP (Minas Gerais), SIURB (São Paulo) e SUDECAP (Belo Horizonte) funcionam em âmbitos menores, como estadual ou municipal, podendo oferecer valores de custos mais adequados às regiões em que atuam.

Selecione a base que melhor caracteriza a região em que você está para fazer seus orçamentos de obras. E quando você precisar de ainda mais planejamento, lembre-se de fazer cotações de preços nos depósitos de materiais de construção e lojas da sua cidade e atualizar os valores na sua planilha orçamentária.

Um modelo de planilha de orçamento de obras

Você pode perceber que a quantidade de informações necessárias pode ser bem alta para um orçamento bem feito, mas quanto mais custos você conseguir levantar, melhor conseguirá se planejar e garantir o êxito da edificação, com lucro para os construtores e satisfação para os ocupantes.

Pensando em te ajudar no começo, nós elaboramos uma planilha de orçamento de obras que você pode baixar, abrir no Excel, verificar os insumos de cada etapa da obra e carregá-la com você para consultar novamente sempre que quiser. Nela, tem um exemplo de um orçamento completo de uma residência popular de três quartos, contendo mais de 150 serviços organizados nas etapas que mencionamos acima, no texto.

Modelo de planilha de orçamento de obras - nesse modelo, é apresentado um orçamento sintético de uma residência popular de três quartos

Não perca essa e faça o download gratuito da planilha modelo de orçamento de obras agora mesmo!

Mais um bônus especial!

Claro, um modelo de planilha pode ajudar muito no início, mas como cada obra é única, você precisará consultar custos de diferentes insumos nas bases de composições de custos que falamos anteriormente. E aí vem um problema...

Muitos engenheiros, arquitetos e técnicos tem como uma das principais dores do processo de orçamentação de obras uma rotina massante e cansativa para pesquisar preços de insumos. Isso porque é necessário lidar com planilhas enormes de composições de custos e procurar pelos elementos necessários na obra.

Aqui, além da planilha modelo, nós te oferecemos um bônus incrível para seu orçamento ficar completo: uma interface muito amigável para você pesquisar pelos insumos que precisa ou mesmo navegar por categorias, como "Cobertura", "Pintura" e "Esquadrias" para consultar preços de insumos e ir montando seu orçamento. E, além de uma série de outras ferramentas, no final você ainda pode imprimir ou exportar o seu orçamento para utilizar no Excel!

Todas essas ferramentas vem compiladas no Monttante, um software para orçamento de obras que vai te ajudar a montar seu orçamento para você construir muito, mas muito mais rapidamente, a sua planilha de orçamentos de obras. E o melhor: para começar, você não precisa gastar nada e nem baixar nada! O Monttante funciona online e conta com um plano gratuito que você pode utilizar para obter imediatamente mais velocidade e conforto ao fazer suas planilhas de orçamentos de obras. Experimente o Monttante agora mesmo e descubra o montante de custos da sua obra!

Finalizando...

Construir um orçamento de obras pode ser trabalhoso, mas é essencial para se obter êxito na construção de um empreendimento. Além disso, trata-se de um dos primeiros passos para o sequenciamento das atividades construtivas, de maneira que qualquer pessoa ou empresa que for construir precise de um orçamento de obras.

Mostramos aqui as principais informações que você precisará para começar o orçamento, incluindo diretrizes gerais de projeto, as colunas que devem constar numa planilha orçamentária, além de fontes de acesso à informação para obter valores de custos de materiais e mão de obra. Também disponibilizamos uma planilha modelo de orçamento de obras e um convite gratuito para um software de orçamentos de obras. Aproveite os dois!

Com todas essas informações e dicas, você tem toda as informações necessárias para começar a orçar! Assim, não deixe de montar a sua planilha de orçamentos de obras, pois é com ela que muitas dúvidas são resolvidas e pode-se seguir adiante na construção.

Imagens: Pixabay

Percebeu algum erro ou gostaria de sugerir mudanças nesta publicação? Envie seu feedback

Monttante é seu novo software para orçamentos de obras. Experimente já.

Ver preços e planos